A obra Letramento literário e ensino: versos e prosas, organizado a partir da disciplina Leitura do texto literário, do Profletras/UNEMAT/Sinop-MT, tem o objetivo de fornecer subsídios aos docentes do Ensino Fundamental e Médio no que se refere à leitura desse gênero na escola.
Muitos desafios têm sido colocados aos formadores em vista do crescente acesso aos meios digitais e a ausência de motivação para leitura de livros.
Após a reflexão de autores que contribuíram significativamente com a mudança de olhar em direção a essa problemática, os alunos do mestrado profissional em Letras, da UNEMAT/Sinop-MT, elaboraram propostas de leitura de autores de Mato Grosso e do cânone nacional.
Um dos teóricos que guiou o trabalho é Rildo Cosson, que discute a sequência básica e a sequência expandida como estratégias de leitura do texto literário para o alcance do letramento. Não se quer este material um manual de leitura a ser seguido como receita.
São possibilidades de leitura e que devem ser tomadas como norteadoras de outras interpretações, a partir da realidade do leitor a ser formado. Deseja-se que os textos possam chegar às salas de aula e transformar a realidade obscura que se tem percebido quando o assunto é formação de leitores literários.
Falar em literatura, como sabemos, significa falar em ficção e em discurso poético, mas muito mais do que isso. Significa abordar assuntos vistos, invariavelmente, do ponto de vista da subjetividade.
Significa a motivação estética. Significa remeter ao imaginário. Significa entrar em contato com especulações e não com lições. Significa o uso livre da fantasia como forma de experimentar a verdade.
Significa a utilização de recursos como a linguagem metafórica. Significa o uso criativo e até transgressivo da Língua. Significa discutir verdades estabelecidas, abordar conflitos, paradoxos, ambiguidades […].
Significa, enfim, tratar de assuntos tais como a busca do autoconhecimento, as iniciações, a construção da voz pessoal, os conflitos entre gerações, os conflitos éticos, a passagem inexorável do tempo, as transgressões, a luta entre o caos e a ordem, a confusão entre a realidade e a fantasia, a inseparabilidade do prazer e da dor (uma configura o outro), a existência da morte, as utopias sociais e pessoais entre outros.

Deixe uma resposta