Poucos prazeres intelectuais há que se comparem à leitura de Contra o método, obra-prima do filósofo austríaco Paul Karl Feyerabend (1924-1994), na qual se lançam as bases de doutrina gnosiológica única, que ele próprio denominou de anarquismo epistemológico. Nada mais delicioso do que acompanhar a maestria do filósofo em tomar ideias, muitas das quais nos são caras desde a infância, e evidenciar como são elas desarrazoadas e até mesmo prejudiciais à vida humana!
O presente opúsculo trata de algumas ideias fundamentais da filosofia de Feyerabend expostas em Contra o método. Como nada substitui, certamente, o encanto de ler Contra o método, as páginas que se seguem não dispensam o livro do filósofo austríaco e nem mesmo constituem introdução a seu pensamento. Dar-me-ei por satisfeito se este despretensioso livro estimular alguém a ir beber na fonte original do anarquismo epistemológico e, mais ainda, se incentivar alguém a refazer esse caminho.
O presente manual, assim, não pretende ser mais do que modesto guia introdutório à teoria e à prática do anarquismo epistemológico, que é, para os que ainda não sabem, a sublime arte de criticar permanentemente as ideias, com o intuito de fazer nascer outras novas que também devem ser criticadas e, assim, indefinidamente.
Adeptos de Feyerabend e conhecedores de seu pensamento poderão acusar-me, e o farão com justiça, de não expor fielmente as ideias do mestre, de entendê-las superficialmente, de distorcê-las e, em alguns casos, até mesmo de anulá-las.
Apresento aqui minha interpretação do anarquismo epistemológico, sem me preocupar com questões de fidelidade, e me atenho tão somente ao que considerei interessante, pitoresco e útil nas páginas de Contra o método.
O texto que segue divide-se em partes que guardam certa desconexão entre si, de modo que não necessitam ser lidas em sequência. À medida que os tópicos forem sendo lidos, as ideias apresentadas irão ganhando forma e adquirindo consistência.
Este livro tem propositadamente pequeno conteúdo para que a primeira leitura seja feita de uma só vez e para que a ela se sigam muitas outras pequenas, para que o aprendiz anarquista epistemológico assimile lenta e continuamente os requisitos da arte intelectual
arquitetada por Feyerabend.
A primeira parte deste livrinho expõe alguns dos pensamentos basilares de Feyerabend, o profeta do anarquismo epistemológico, por meio de paródia de conhecida obra da literatura mundial. A segunda parte consta de alguns pensamentos e sugestões práticas que creio, com base em minha experiência de ainda aprendiz de anarquismo epistemológico, poderão ajudar o leitor a bem conduzir suas ações, se for seu desejo abraçar a mui digna causa de anarquizar a vida intelectual. Há também, no final, pequeno
glossário que define os principais termos do vocabulário anarquista epistemológico, que talvez deva ser lido em primeiro lugar.

Deixe uma resposta