Modernidade E Sintomas Contemporâneos Na Educação é destinado, sobretudo, aos amantes da educação, profissionais interessados em desvendar, a cada dia, um novo saber. Espera-se, com esta publicação, que os estudos aqui expostos suscitem uma gama de considerações, a qual possa proporcionar novos olhares e ampliar o universo do conhecimento dos diversos atores educacionais.
Os temas propostos contribuem, de forma relevante e atualizada, para alavancar a motivação dos inúmeros profissionais, os quais não se propõem apresentar somente os tradicionais desafios encontrados no dia a dia da escola, mas também reflexões imprescindíveis sobre eles, no contexto da escola contemporânea.
A cada capítulo, observam-se os pontos convergentes entre a Educação e a Psicologia – áreas correlatas ao processo de desenvolvimento humano. É inquestionável a contribuição dos autores que dedicam seu tempo para estudar e escrever sobre assuntos pertinentes e, muitas vezes, pouco abordados. As reflexões apresentadas não induzem a fórmulas prontas, mas estimulam o leitor a rever concepções sobre a Educação Brasileira, além de compreendê-la como fenômeno em uma perspectiva sistêmica.
A proposta Modernidade E Sintomas Contemporâneos Na Educação surgiu em meio a tantos paradoxos existentes na relação entre a sociedade e o sistema educacional. Sintoma, em seu sentido figurado, significa “sinal”, “indício” ou “presságio” de que algo não está bom nessa relação – sociedade x escola.
Essas duas “instituições” não possuem mais um papel definido. Se, outrora, a escola era responsável pela educação formal das pessoas, e a sociedade, pela educação informal, tal divisão não existe mais. Não se concebe, atualmente, uma escola que não forme seus estudantes para a vida, não
contextualize seus conhecimentos, não aproxime esses conhecimentos da sociedade. Analogamente, não se vislumbra uma escola que não contemple toda a diversidade que existe na sociedade. Se, na sociedade, temos brancos, pretos, pardos, surdos, mudos, deficientes, nerds, pessoas com dificuldades… e todas as demais multiplicidades que possamos imaginar, a escola precisa ser/estar /existir para todas.
Hoje são valorizadas pessoas que conseguem resolver problemas, conflitos, trabalhar em grupo, adaptar-se a várias situações, entre outras tantas características, as quais beneficiam não somente o próprio indivíduo, mas toda uma comunidade. Dessa forma, questiona-se o que a escola tem contribuído para esse anseio social, uma vez que ela deve, além dos conhecimentos, formar a pessoa para viver em comunidade.
Desse modo, Modernidade E Sintomas Contemporâneos Na Educação traz uma coletânea organizada em onze capítulos, que irão nos guiar numa reflexão sobre a modernidade que a sociedade incute no sistema educacional e todos os sintomas advindos dessa contemporaneidade.

Deixe uma resposta