Não é fácil escrever a história dum povo em menos de cem páginas, especialmente quando se tem, ao mesmo tempo, em vista traçar o seu perfil espiritual, falar da sua alma, evocar as suas criações artísticas, analisar os seus mitos. Eis porque este livro é mais uma introdução geral ao estudo do lugar ocupado pelos Romenos na História Universal e um esboço da sua civilização, do que um resumo da sua história.
Dado o caráter da coleção na qual este opúsculo tem a honra de ser publicado, preferimos pôr diante do leitor português os quadros em que a história dos Romenos tem evoluído, em vez de lhe oferecer um apanhado cronológico dos acontecimentos, da sucessão dos príncipes e do vaivém das lutas internas. O leitor que desejar conhecer de mais perto a história cronológica dos Romenos encontrará abundante literatura sobre o assunto, publicada em francês, inglês, italiano e alemão, da qual indicamos na Bibliografia as obras mais importantes.
Enquanto redigíamos este opúsculo, nunca deixámos de pensar em escrever outro, em língua romena e para Romenos, sobre a História e a Cultura portuguesas.
Quais são as dominantes da História lusitana?
Qual foi o lugar ocupado pelos Portugueses na História Universal? Qual foi a sua missão na História?
Responder a estas perguntas, é escrever a mais conveniente introdução ao estudo da História de Portugal.
Pela mesma razão, preferimos insistir nos momentos decisivos da História dos Romenos: origens; lutas contra os bárbaros oriundos da estepe euro-asiática; resistência ao Islã vitorioso; lutas para conservar a liberdade comercial do Danúbio, do Dniester e do Mar Negro; equilíbrio entre dois imperialismos — o otomano e o russo.
A melhor maneira, com efeito, de escrever a introdução à História dum povo, é começar pela sua geopolítica e concluir pelo estudo do seu espírito de missão. Entre estes dois polos aparecem e entrechocam-se os demais fatores históricos.
Seria interessante escrever, um dia, um paralelo histórico entre os dois povos latinos mais afastados um do outro: os Portugueses e os Romenos.

Deixe uma resposta