A História E A Capilaridade Da Educação nasceu de uma vontade coletiva, germinada no contexto da sala de aula, de alunos matriculados no Seminário Temático Teorias da História sob a preleção do professor e pesquisador doutor Rui Martinho Rodrigues. Vontade esta que encerra a necessidade de divulgação do pensamento e da pesquisa social, por meio de artigos apresentados com diferentes abordagens teóricas e metodológicas, inseridos no referido campo de estudo.
A História E A Capilaridade Da Educação é um produto acadêmico curtido e sovado ao longo do semestre, por via da plêiade de teorias que desfila no conteúdo programático do curso, mediado pela ação pedagógica do referido mestre, em diálogo perene com seus alunos, a afiar a ação historiadora e a aguçar o espírito inquietante de quem se lança, com afeição, ao trabalho investigativo e não mede esforços para divulgação de resultados, pelo bem da socialização do conhecimento, no campo disciplinar da História da Educação.
A qualidade acadêmica de uma disciplina merece ser aferida pela capacidade de orientação dos discentes na produção do conhecimento, ao longo de um semestre letivo.
A eficiência da ação docente se dá pela possibilidade da reflexão das principais questões norteadoras do debate epistemológico, eleito para a condução da espiritualidade acadêmica da turma. Não à toa, tal mérito deve ser enaltecido, pois há, no horizonte deste trabalho, muitas qualidades a conduzir a relação teoria e prática na formação de pesquisadores.
Eis uma coletânea que traduz axiomas acerca da qualidade didática da disciplina. A primazia do pensamento volta-se à ação historiográfica, por transformar sujeitos com a autonomia para a produção de artigos, lançados à validação da comunidade científica. Eis um livro participante de saberes que lança uma intenção pedagógica, porque procura compartilhar conhecimentos, valores, mas, principalmente, em estabelecer vínculos humanos.
Ao apreciar o que suscita o debate acadêmico, à luz do pensamento de Paul Ricoeur e de Jacques Le Goff, componentes de lugar cativo na bibliografia dos programas das nossas disciplinas de história da educação, tão lidos, apreciados e discutidos em nossas salas de aula, sem a pretensão de estabelecer um duelo entre ambos, que levaria a uma aporia sem fim, nem de colocar tais preposições enclaustradas num pedestal, acima de outras teorias, a insultar os olhares epistemológicos de outras matizes ideológicos, porém envolto com o caráter ilustrativo de tais ideias, acerca do conhecimento histórico, deve-se considerar as assertivas asseveradas por tais autores, que muito bem ilustram a natureza editorial de A História E A Capilaridade Da Educação.

Deixe uma resposta