O avanço e efetivação do processo de inclusão social na realidade brasileira ainda acontecem de forma acanhada e modesta, principalmente quando nos referimos ao contexto escolar, à inserção e à participação de crianças com deficiência nas propostas pedagógicas. Embora haja uma variedade de dispositivos legais que garantam o acesso a todos os brasileiros à escola regular de ensino, a transformação didático-pedagógica não acontece na mesma velocidade em que as leis e as políticas públicas são implementadas. A aplicabilidade de uma transformação na maneira de pensamento e, consequentemente, de comportamento social demanda investimentos na formação humana.
Neste sentido, o investimento direcionado à Formação Continuada de Professores idealizado pela equipe gestora da atual Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão/Secadi, e executado pela Rede de Formação Continuada de Professores em Educação Especial pela perspectiva da Educação Inclusiva (composta por universidades federais brasileiras) é um dos elementos que tem contribuído significativamente para essa transformação social.
Inclusão Educacional E Educação Especial é fruto desse trabalho que, por meio da mídia impressa, traz conteúdos que nos ajudam a refletir sobre nossas ideias, práticas e possibilidades frente à demanda desafiadora que se constitui no processo de inclusão social. Nesta obra estão presentes relatos de pesquisa e textos acadêmicos provenientes de uma profunda discussão teórica sobre esse processo. Essas discussões são iluminadas pelo diálogo de diversas áreas de conhecimento que, com as contribuições teóricas provenientes da Psicologia, da Biologia, da Pedagogia e, por que não, do Serviço Social, nos permite olhar para a temática da inclusão social por um prisma diversificado e enriquecedor.
Nos dois capítulos iniciais, sob diferentes perspectivas, encontramos a discussão do processo de escolarização das crianças/jovens com transtornos globais do desenvolvimento. No primeiro capítulo, A escolarização de pessoas com transtornos globais do desenvolvimento, Carlos Schimidt nos apresenta um texto rico em debates sobre o processo de escolarização de crianças autistas. O autor propõe uma discussão que aborda questões consideradas desafiadoras tanto da perspectiva da família quanto da perspectiva do professor e dos alunos da sala
de aula.

Deixe uma resposta