A temática da gestão da segurança constitui um campo de desafios e remete, inicialmente, ao aspecto da construção social desse problema das violências e sua problematização sociológica.
A construção social do problema no Brasil, a partir do começo da década de 80, é um fenômeno complexo que ainda carece de discussões.
A violência esteve sempre presente nos processos de constituição e estruturação da sociedade brasileira, porém ela só se converteu em um problema social quando assumiu a forma de investidas predatórias crescentes contra a integridade física e contra o patrimônio material da população dos grandes centros urbanos.
O conhecimento sobre o campo da gestão da segurança pública pode ser descrito como um amplo mosaico com muitos espaços vazios. Essa também é a percepção dos editores da coleção “Segurança com Cidadania” (2009), que unanimemente reconhecem que parte preponderante do que se sabe desse campo foi incorporada nos últimos anos.
O papel da SENASP, do Fórum Nacional de Segurança Pública – FNSP; do PRONASCI e dos grupos de trabalho de pesquisa de segurança pública que alcançaram institucionalidade no ambiente das Universidades Públicas e Privadas no Brasil, como os GT do Ceará, Bahia, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro e Sergipe são exemplos na aceleração da criação de conhecimento em segurança pública no país.
A estruturação original desse livro envolvia, basicamente, as contribuições de conferências de especialistas convidados no âmbito dos cursos de pós-graduação lato sensu em segurança pública da RENAESP/ UFBA.
Entretanto, ao longo da sua produção prevaleceu a ideia de mesclar as conferências com artigos produzidos por pesquisadores do PROGESP. A opção foi estruturar este livro com duas diferentes modalidades da produção do conhecimento científico: a primeira, constituída de artigos produzidos pelos pesquisadores do PROGESP e a segunda, por conferências realizadas no âmbito do I e II Cursos de Políticas e Gestão em Segurança Pública da RENAESP/UFBA.
Essas conferências fazem parte das atividades programadas de Oficinas de Gestão e são espaços privilegiados nos cursos que permitem o aprofundamento de certos temas para o enriquecimento das abordagens conceituais selecionadas. São proferidas por profissionais de reconhecida competência, especificamente convidados para esta finalidade.

Deixe uma resposta