Epistemologia da Telenovela Brasileira.
Após ler o título acima, o leitor precavido deve estar se perguntando se a telenovela brasileira tem efetivamente uma epistemologia. Essa precaução é o resultado de um longo processo implícito de seleção de assuntos que seriam especialmente dignos da atenção por parte dos filósofos. Digo implícito porque o critério dessa seleção nunca faz parte de nenhuma discussão. Essa precaução faz parte de certa maneira de pensar que exclui alguns assuntos das discussões filosóficas, supostamente em função de sua irrelevância. Entre esses, certamente se encontraria a telenovela brasileira.
Particularmente, nunca entendi o que poderia ser um assunto filosoficamente irrelevante. Suspeito, ao contrário, que as precauções a esse respeito expressam antes alguma carência de criatividade na abordagem do assunto do que qualquer outra coisa. Note que ninguém defenderia honestamente que determinados assuntos não possam ser tratados pela filosofia, simplesmente porque eles nunca foram tratados por ela. Afinal, a filosofia se caracteriza justamente como uma forma de pensar pretensamente livre e destituída de grande apreço por tradições estabelecidas. Dessa maneira, parece-me que quaisquer precauções que limitem a amplitude dos assuntos dignos de atenção filosófica só podem fazem parte de atitudes antifilosóficas.
Para economizarmos argumentos sobre a questão da relevância filosófica da telenovela, podemos tomar um atalho e considerar que a filosofia é, entre outras coisas, também uma disposição intelectual para compreender o mundo que nos cerca.
Assim, sendo a telenovela parte da cultura brasileira, ela parece ser dotada das características básicas requeridas pelos assuntos dignos de atenção por parte da filosofia: um fenômeno que compõe o ambiente que nos cerca – de maneira, aliás, muito saliente.
É verdade que a telenovela brasileira não tem recebido atenção por parte da filosofia. Mas isso parece ser uma situação decorrente da falta de dedicação, por parte da atividade filosófica brasileira, ao Brasil – algo que a caracteriza muito bem. Seja como for, essa falta de atenção não é, certamente, decorrente de alguma característica desqualificadora da própria telenovela. Com efeito, essa última não é um tipo de anticristo cujo contato poderia macular a alma pura da filosofia.

Deixe uma resposta