Desde a descoberta da doença vassoura-de-bruxa na região cacaueira do Estado da Bahia foram lançadas novas tecnologias e processos que buscam controlar a doença e também elevar a produtividade das áreas cultivadas. Citam-se, por exemplo: (1) cultivares clonais; (2) produção de mudas e propagação por enxertia; (3) adubação, calagem e gessagem; (4) poda fitossanitária; (5) uso de fungicidas e controle biológico com uso de fungos antagônicos. Essas tecnologias permitem conviver com a doença e foram adotadas, total ou parcialmente, pelos agricultores regionais. No que se refere à produção de mudas de cacaueiro, essas podem ser obtidas por diferentes formas. A mais comum, denominada sexuada (uso de sementes), foi intensivamente usada na implantação e recuperação de lavouras na região cacaueira do Estado da Bahia, entre 1970 e 1980. Essa opção, segundo Dias (2001), foi resultado da facilidade encontrada pelos produtores para manejar plantas originárias de sementes e, principalmente, devido à boa produção dos híbridos e das variedades cultivadas.
A outra forma, denominada propagação assexuada ou vegetativa, usa partes da planta para produzir novos indivíduos. Se a parte usada no enraizamento é um ramo, ela é chamada de estaca de ramo e a sua prática é denominada estaquia. A propagação vegetativa é uma boa opção de multiplicação de variedades clonais de cacaueiro. Um clone é uma planta geneticamente igual à planta que lhe deu origem, o que faz da variedade clonal um material mais homogêneo.
A propagação vegetativa por estaquia em cacaueiro não é uma técnica nova, pois foi testada e usada na América Central desde a década de 1950. A primeira experiência bem sucedida foi realizada em Trinidad, em 1933, por um cientista chamado E. Pyke, que conseguiu enraizar estacas e relatar a forma como as raízes cresciam e formavam uma nova planta.
A partir do final da década de 1990,foi intensificada a produção de mudas clonais em larga escala no Estado da Bahia. Desde então, a escolha do substrato adequado, o tamanho das estacas usadas e o manejo nutricional e sanitário no jardim clonal e viveiros constituíram-se em grandes desafios da pesquisa para melhorar a produção das mudas.
O objetivo desse manual é informar resultados de pesquisa na produção de mudas clonais de cacaueiro com uso da estaquia e disponibilizar novas tecnologias, a exemplo do uso de miniestacas, substratos e jardim clonal em viveiros e ainda quais os trâmites legais para estabelecimento de viveiros comerciais para produção de mudas.

Deixe uma resposta