A região do oeste da Bahia, localizada na Bacia do Rio São Francisco, é a área onde ocorre a maior expansão agropecuária sobre cobertura de cerrado.
O bioma cerrado é uma formação do tipo savana tropical, que se destaca entre as demais savanas por sua alta diversidade.
O Cerrado é a vegetação típica do interior do Brasil. Suas espécies suportam solos pobres e secas longas, formando tipos de vegetações que vão desde as mais abertas (por exemplo, Campos sujos) até as mais fechadas (Cerradões).
Apesar de seu aspecto seco com árvores pequenas e retorcidas, o Cerrado Brasileiro é uma das regiões com a maior biodiversidade do mundo. São mais de 7.000 espécies de plantas; dentre estas, mais de 3.000 não ocorrem em nenhuma outra parte do mundo.
No Brasil, ele é o segundo bioma em extensão, depois da Floresta Amazônica, ocorrendo em diferentes tipos de solos e formações geológicas. Possui uma extensão original de cerca de dois milhões de quilômetros quadrados no Brasil Central, representando 23% do território nacional.
Apesar de sua grande riqueza biológica e cultural, este bioma tem sido drasticamente alterado pela ação humana e hoje é considerado uma área de prioridade mundial para conservação. Nas últimas décadas, este bioma tem sido explorado intensamente por expansão agrícola e plantios florestais, convertendo aproximadamente 40% de sua área.
O presente projeto buscou a integração das instituições parceiras no desenvolvimento de um protocolo comum que permitiu integrar e associar informações que descrevem a dinâmica de ocupação e o grau de conservação ambiental da bacia.
Desta forma, o projeto auxiliou na racionalização do espaço físico e na determinação de diretrizes que irão promover o desenvolvimento sustentável na bacia a partir da melhoria das atividades individuais e das instituições parceiras, consistindo um passo fundamental para a revitalização da bacia do rio São Francisco.
Os trabalhos tiveram dois enfoques principais: (a) subsidiar o Projeto de Recuperação Ambiental nos municípios prioritários e (b) subsidiar as ações no Controle de Processos Erosivos das sub-bacias hidrográficas dos rios Grande, Corrente e Margem Esquerda do Carinhanha.

Deixe uma resposta