Júlio Verne – A Volta Ao Mundo Em 80 Dias

Júlio Verne nasceu em 8 de fevereiro de 1828 em Nantes, França, e morreu em 24 de março de 1905 em Amiens, França. Foi um dos maiores escritores franceses de todos os tempos e um dos mais influentes da literatura mundial, tendo recebido a Legião de Honra (1882) do governo francês e desfrutado em vida de enorme popularidade.
Além de grande escritor de romances de aventuras, é considerado um dos pais da ficção científica, já que seus escritos anteciparam equipamentos que só surgiram dezenas de anos depois, como televisão, submarino, nave espacial, fax etc. A volta ao mundo em 80 dias (1864) é a sua novela mais célebre, onde narra as peripécias de Phileas Fogg, seu personagem mais famoso, e sua exótica aposta, onde se compromete a fazer a volta ao mundo em 80 dias. Escreveu, entre dezenas de outros livros, Viagem ao centro da Terra (1864), Da Terra à Lua (1865), Vinte mil léguas submarina (1870) e A ilha misteriosa (1874).
Phileas Fogg é um senhor inglês, um tanto quanto solitário e sereno, que mora em Londres e tem uma rotina inalterável: acorda sempre no mesmo horário, faz a barba, toma café da manhã e parte para o Reform Club, onde passa o restante do dia. Lá, Fogg almoça e lê os principais jornais da capital inglesa. À noite, reúne-se com os colegas para a tradicional partida de uíste (jogo de cartas para duas duplas, ancestral do Bridge) e para comentar os assuntos do dia. À meia-noite, pontualmente, volta para casa. E assim se segue até o fatídico dia da aposta.
Eis que surge um assunto novo: o roubo acontecido no Banco da Inglaterra, dias atrás. O ladrão havia levado 55 mil libras da casa bancária e fugira sem deixar traços. Sentados à mesa, os jogadores especulam a respeito do paradeiro do ladrão. Fogg, até então quieto, comenta que o referido ladrão poderia estar em qualquer lugar, afinal, por causa dos avanços tecnológicos da época, qualquer um seria capaz de dar uma volta ao mundo em 80 dias. Seus colegas dizem que tal façanha seria impossível e que ele não estava levando em conta os imprevistos que a empreitada traria consigo. Fogg permanece firme e, impassível, diz que ele mesmo o faria. Travam então uma aposta de 100 milhões de libras e o destemido cavalheiro decide partir imediatamente. Estaria de volta no dia 21 de Dezembro de 1872.

Deixe uma resposta