Uma das prerrogativas do Memorial da América Latina, contribuindo para a integração cultural, social, artística e acadêmica entre os povos latino-americanos, tem sido a de promover a divulgação dos estudos, pesquisas e debates realizados pelas universidades do Brasil e dos países vizinhos.
É o caso da presente publicação, resultado do projeto “Extraterritorialidades, entrecruzamento de soberanias e conflitos na América Latina”, coordenado pelo Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais (IEEI-UNESP), com apoio da Fundação Friedrich Ebert e do Memorial da América Latina.
O objetivo é analisar problemáticas emergentes associadas à governabilidade e ao conflito, tomando como referência três dimensões estratégicas de ordenamento territorial que projetam poderes e disputas de hegemonia.
Em primeiro lugar, a perspectiva desde os Estados Unidos, cuja agenda de segurança hemisférica identifica “áreas não governadas”, associadas a territórios com baixa presença do Estado, que favoreceria a atuação de redes do crime organizado, do terrorismo e de movimentos sociais antagônicos com os lineamentos da sua política externa.
A segunda dimensão compreende os espaços de soberania reivindicados por geopolíticas indígenas e camponesas. O foco principal é o entrecruzamento de interesses e conflitos decorrentes da ofensiva associada a projetos de infraestrutura promovidos por Estados, individualmente ou através de iniciativas de integração regional, favorecendo empresas nacionais e transnacionais.
A terceira dimensão aborda perspectivas estatais associadas a mecanismos de integração latino-americanos, especificamente a UNASUL e a ALBA, que tem como característica comum a preocupação em construir uma agenda capaz de expressar interesses regionais, especialmente nas relações com os Estados Unidos.

Luis Fernando Ayerbe é professor-titular da Unesp, atuando no Departamento de Economia do campus de Araraquara e no Programa San Tiago Dantas de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Unesp, Unicamp e PUC/SP, além de coordenar o Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais (IEEI-Unesp).

Deixe uma resposta