Cultura, politecnia e imagem reúne artigos sobre diferentes dimensões da cultura, ampliando e ressignificando o termo para além de uma leitura que o vincula apenas às expressões das manifestações culturais mais imediatas das sociedades.
Com a proposta de acender a discussão em torno da cultura, a obra pretende trazer um aprofundamento teórico sobre o assunto, somando-o às experiências do cotidiano escolar e àquelas ligadas à produção da imagem nas suas variadas formas de expressão. Apresenta ainda reflexões da cultura nos campos do trabalho e da saúde, integrando-os. Os artigos contidos nesta coletânea problematizam a cultura em sua dimensão material e simbólica da vida social, contribuindo para o aprimoramento de professores e alunos no desenvolvimento de valores e instrumentos para a compreensão crítica da realidade na qual estamos inseridos.
Este livro é resultado do amadurecimento das discussões que pautam o trabalho cotidiano do Núcleo de Tecnologia Educacional em Saúde (Nuted) da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV), uma unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ao longo de sua trajetória, o Nuted consolidou suas atividades de ensino, produção tecnológica e pesquisa no campo do audiovisual, dentre outras, com a criação da disciplina de Audiovisual no ensino médio e a realização anual da Mostra Audiovisual Estudantil Joaquim Venâncio.
O núcleo não percorreu os caminhos mais fáceis na aplicação das tecnologias educacionais, nos quais estamos acostumados a ver mera transposição para as salas de aula de produtos redutores da construção de olhares críticos de alunos, professores e demais trabalhadores da área da educação e da saúde. Essa opção lhe permitiu ser um espaço de busca da aproximação das tecnologias da educação às ações pedagógicas, no qual a reflexão crítica – compartilhada pelo diálogo com os diferentes laboratórios que constituem a EPSJV – assumiu a função de mediar as relações entre alunos e professores-pesquisadores com as tecnologias que lidam com a informação e a imagem.
Tendo como ponto de partida a discussão sobre a imagem nos seus processos de produção e ensino, o Nuted se deparou com uma questão que precisava enfrentar. Embora a produção de imagens no mundo contemporâneo tenha se tornado algo constitutivo do nosso dia a dia, as análises sobre a(s) imagem(s) não foram capazes de avançar nas discussões para além dos círculos acadêmicos e dos núcleos produtores de imagens instituídos. Se a interpretação textual é item obrigatório do currículo escolar, o mesmo não ocorre com o estudo sobre as imagens. Seu estudo sistemático ainda não alcançou os espaços escolares, por mais que de imagens sejam compostos o cotidiano e o imaginário do homem contemporâneo.

Deixe uma resposta