Jean-Louis Comolli – Ver E Poder: A Inocência Perdida

Posted on Posted in Cinema

Reunião de artigos e intervenções em debates produzidos por Jean-Louis Comolli ao longo de quinze anos, Ver e poder mostra como o cinema, maior responsável pelo acesso à esfera do espetáculo, permanece, desde então, o seu principal crítico. Ao convocar o espectador a crer sem deixar de duvidar e a duvidar sem deixar de crer, os filmes (documentários e de ficção) concedem ao ver uma potência capaz de questionar os jogos estéticos e políticos que animam não apenas a sala escura, mas toda uma sociedade na qual as imagens e os sons tornaram-se servos dos poderes do espetáculo e do controle.
O pensamento francês contemporâneo sobre cinema é representado por uma constelação de pesquisadores que se debruçam sobre uma incontável quantidade de temas e abordagens, tornando a diversidade uma de suas marcas significativas. Diversos também são os espaços onde os integrantes da constelação estão abrigados. Em Paris, destacam-se dois centros: a Universidade de Paris 3, com Jacques Aumont, Roger Odin, Michel Marie e Philippe Dubois entre seus representantes, e a Universidade de Paris 8, que conta com Jacques Rancière e Jean-Louis Comolli no quadro de professores. Do primeiro “time” há no Brasil um considerável número de livros e textos publicados, o que torna o contato com esta produção mais estreito. Já do segundo, no entanto, só agora é que começam a chegar por aqui as primeiras publicações. Há vários títulos de Rancière lançados no Brasil, alguns esgotados, inclusive, mas nenhum sobre cinema. Por outro lado, alguns dos textos de Comolli só estavam disponíveis nos catálogos do Forumdoc.bh (Festival do Filme Documentário e Etnográfico), que passavam em cópia de mão em mão, quase como uma preciosidade. Esta lacuna, porém, começa a ser minimizada com a publicação de Ver e poder, a inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário, de Jean-Louis Comolli, lançado em dezembro de 2008 pela Editora UFMG.
Trata-se do mais recente livro do autor, também crítico e documentarista, publicado na França em 2004 e que reúne artigos, cartas e tópicos para palestras produzidos nos últimos 15 anos

Deixe uma resposta