Fabio Giambiagi & Outros (Orgs.) – Economia Brasileira Contemporânea (1945-2010)

Posted on Posted in Economia

Esta segunda edição de Economia Brasileira Contemporânea estende até 2010 o período de abrangência do estudo e apresenta, em seus oito capítulos revistos e ampliados, um abrangente panorama da evolução da economia e da sociedade brasileiras desde o pós-Guerra. A análise desse período em perspectiva histórica oferece aos leitores — acadêmicos, profissionais, estudantes — uma visão integrada dos elementos que fundamentaram a formação do Brasil contemporâneo.
Mostra como o nosso desenvolvimento econômico e social a partir do pós-Guerra alternou fases de avanço e estagnação ao sabor de condicionantes políticos, institucionais, de políticas públicas, de booms e crises internacionais. Os diferentes regimes políticos, a construção de instituições, os variados enfoques de políticas econômicas e sociais, as crises geradas endogenamente ou importadas da economia mundial, moldaram historicamente o que hoje constituem a economia e a sociedade brasileiras. É esse processo histórico, desde o pós-Guerra até o presente, que norteia a análise lúcida desenvolvida em Economia Brasileira Contemporânea.
Os oito capítulos são de autoria dos próprios organizadores, com a colaboração especial de Sérgio Besserman Vianna no primeiro capítulo. Apresentam a evolução da economia brasileira no período entre 1945 e 2010 por períodos históricos.
O corte analítico é cronológico, mas a periodização segundo as fases de evolução é determinada por eventos econômicos, políticos e de política econômica, bem como por tendências da economia internacional. Por fim, Economia Brasileira Contemporânea se completa com um utilíssimo Apêndice Estatístico, revisto e ampliado, contendo todas as séries de dados compiladas pelos organizadores e uniformemente utilizadas em todos os capítulos.
A estrutura dos capítulos segue um padrão de organização que assegura análises igualmente abrangentes, embora com distintas ênfases, dos vários períodos.
De modo geral, além de discutir o desempenho da economia, os autores situam o período em termos dos respectivos contextos histórico, político, de política econômica e da economia internacional, chamando atenção para alternâncias relevantes segundo os ciclos políticos, econômicos e de política econômica; destacam características essenciais do “modelo” de crescimento prevalecente; ressaltam transformações econômicas, reformas estruturais e institucionais, planos de desenvolvimento ou de estabilização, e apontam os principais problemas que são legados ao período seguinte.

Deixe uma resposta