Theo Colborn & Outros – O Futuro Roubado

Posted on Posted in Agronomia, Biologia, Ecologia, Saúde

O Futuro Roubado é bastante singular. Fruto da colaboração de três autores, ele emprega um estilo pouco convencional para transmitir uma mensagem que transcende o conhecimento tradicional a respeito dos agentes químicos sintéticos, seu índice de segurança e o que entendemos por risco.
Nós, os três autores que trabalharam neste livro – Theo Colborn, Dianne Dumanoski e Pete Myers –, trouxemos talentos e experiências diferentes à tarefa. Cada um de nós teve um papel diferenciado na condução deste volume até o prelo. Decidimos embarcar nesta colaboração porque os problemas, cada vez mais complexos, que enfrentamos no final do século XX exigem colaborações deste tipo.
São problemas que exigem mais do que a contribuição que qualquer indivíduo pode dar isoladamente para enfrentar o desafio.
Os sete anos que Theo Colborn passou sintetizando as pesquisas existentes sobre alteradores hormonais e a extensa base de dados que montou forneceram a fundamentação científica para nossa iniciativa.
O desafio de Dianne Dumanoski foi transformar a complexidade científica em uma história acessível para todos, inclusive para pessoas sem nenhuma experiência anterior com ciência. Dianne, que há 25 anos escreve sobre ciência e políticas ambientais, complementou estas informações através de entrevistas e levantamentos adicionais.
Pete Myers contribuiu com sua formação científica e sua experiência extensa em políticas ambientais nacionais e internacionais, adicionando mais uma dimensão valiosa ao nosso modo de ver as coisas. Os autores desenvolveram e burilaram a estrutura e o argumento do livro em conjunto, trabalhando juntos e regularmente em longas sessões, durante grande parte do processo de redação.
Como o mistério científico que descrevemos ainda está se desenrolando, ele é contado na forma de uma história de detetive, onde Theo Colborn e Pete Myers aparecem como personagens, assim como os outros cientistas que tiveram papéis importantes.
A primeira parte da história conduz o leitor pelo processo de descoberta de Theo, à medida que ela revisava a literatura científica que trata dos efeitos de agentes químicos sintéticos sobre animais silvestres e seres humanos.
Theo aparece como o sabujo deste mistério científico não apenas porque ela realmente teve este papel, mas também porque acreditamos que este enfoque vai cativar o leitor. No ponto em que o livro ultrapassa o trabalho de detetive inicialmente feito por Theo, começa a discussão das evidências científicas, refletindo as ideias dos três autores.
Vivemos em um mundo complexo que exigirá enfoques inovadores para a solução de problemas criados pela tecnologia. Foi necessário um enfoque pouco tradicional – envolvendo colaboração extensa entre especialistas de várias disciplinas – a fim de revelar a natureza dos agentes químicos que estão roubando nosso futuro.
Os cientistas tiveram que romper convenções para descobrir os problemas que descrevemos; ao escrever este livro chegamos à conclusão de que teríamos de quebrar convenções literárias para contar a história destas descobertas.

  

Deixe uma resposta