Hoje em dia, ouvimos dizer com frequência que o mundo está cada vez mais internacionalizado, integrado e globalizado. Mas o que se quer dizer, exatamente, com isso? Será que nossas vidas quotidianas, o andar da nossa economia, os altos e baixos da política ou a maneira como se enfrentam os problemas sociais são, realmente, afetados por acontecimentos que ocorrem longe daqui e por decisões tomadas por outros governos? Acreditamos que sim, e que o estudo das relações internacionais é fundamental para compreendermos o mundo em que vivemos. Nem sempre foi assim. Durante muitos anos, os assuntos internacionais ocuparam muito pouco espaço no noticiário, no meio acadêmico e menos ainda em nossas preocupações do dia-a-dia. Questões de política exterior eram da alçada exclusiva dos diplomatas, uma elite profissional bem-educada, mas pouco conhecida da sociedade. Se houvesse alguma guerra ou conflito que causasse incerteza quanto a segurança do país ou de algum vizinho, 0 assunto certamente seria discutido nas esferas militares sem que muito fosse revelado a opinião pública.
Os tempos mudaram e, hoje, dificilmente passamos um dia sem ouvir uma notícia internacional que, provavelmente, tenha algum impacto, ainda que indireto, sobre nosso mundo imediato.
Mesmo assim, 0 ensino e a pesquisa dos assuntos internacionais ainda são pouco desenvolvidos em nosso pais, apesar de existir uma disciplina dedicada ao estudo das Relações Internacionais há quase um século na Inglaterra e há pouco menos do que isso nos Estados Unidos. As teorias de Relações Internacionais tem a finalidade de formular métodos e conceitos que permitam compreender a natureza e o funcionamento do sistema internacional, bem como explicar os fenômenos mais importantes que moldam a política mundial.
Precisamos de um corpo particular de teorias para entender um universo específico da atividade humana cuja característica é desenvolver-se para além das fronteiras nacionais, no espaço pouco conhecido em que as ações, interações, conflitos e negociações tem lugar nas margens da jurisdição dos Estados: 0 espaço internacional. Os estudiosos das questões internacionais argumentam que elas possuem uma qualidade distinta dos problemas investigados pelas ciências sociais que se ocupam dos processos que ocorrem no espaço doméstico. Por isso, precisamos de uma teoria que dê conta dessa especificidade e de uma disciplina acadêmica que congregue os estudos e reúna os pesquisadores dedicados as relações internacionais.
Neste livro, apresentamos e discutimos as principais correntes de pensamento na teoria das Relações Internacionais e os debates que, frequentemente, contrapõem seus expoentes.

Deixe uma resposta