Motivado por um episódio verídico – o assassinato do estudante I. I. Ivanov pelo grupo niilista liderado por S. G. Nietcháiev em 1869 -, Os demônios, escrito no ano seguinte, é a única obra de Dostoiévski concebida com fins assumidamente panfletários. Entretanto, ao recriar ficcionalmente aquele evento, o escritor acabou compondo uma obra-prima à altura de Crime e castigo e Os irmãos Karamázov, que é também um estudo em profundidade do pensamento político, social, filosófico e religioso de seu tempo.
Com incrível lucidez e rara compreensão da história, este romance – pela primeira vez traduzido a partir do original russo – chega a ser profético. Nele o leitor poderá vislumbrar, no drama intelectual de Kiríllov, a antecipação do Zaratustra de Nietzsche, e, nas ideias de Chigalióv e Piotr Stiepánovitch, os cruéis fanatismos de Hitler e Stálin. Numa época em que a violência, a ignorância, o terrorismo e a impostura ideológica – verdadeiros demônios que assolaram o século XX – continuam vivos sob novos disfarces, este é um livro de impressionante atualidade.
Dostoiévski é um grande escritor e sempre se mostrou à frente do seu tempo. E, neste livro, ele se supera. Publicado 45 anos antes da Revolução de Outubro, Os Demônios já apresentava, em germe, aquelas idéias que, sob o regime soviético, levariam tantas pessoas ao sofrimento e à morte. Além disso, ao tratar de um caso ocorrido em uma pequena cidade do interior da Rússia, podemos ver que os dilemas humanos ali tratados continuam vivos ainda hoje. A histeria coletiva é mostrada mediante o envolvimento de toda a população com a organização criminosa.

Fiódor Mikháilovitch Dostoiévski nasceu em Moscou a 30 de outubro de 1821, e estreou na literatura com Gente pobre, em 1846. Após ser preso e condenado à morte pelo regime czarista em 1849, teve sua pena comutada para quatro anos de trabalhos forçados na Sibéria, experiência retratada em Recordações da casa dos mortos (1862). Após esse período, escreve uma sequência de grandes romances, como Crime e castigo e O idiota, culminando com a publicação de Os irmãos Karamazov em 1880. Reconhecido como um dos maiores autores de todos os tempos, Dostoiévski morreu em São Petersburgo, a 28 de janeiro de 1881.

Deixe uma resposta