Fiódor Dostoiévski – Recordações Da Casa Dos Mortos

Posted on Posted in Literatura Estrangeira

Recordações Da Casa Dos Mortos narra em forma de romance um dos períodos mais difíceis da vida de Dostoiévski (1821-1881): os anos em que passou na prisão. Em 1849, ele foi condenado à morte por debater idéias ‘revolucionárias’. Porém, minutos antes do fuzilamento, sua pena acabou sendo comutada por quatro anos de prisão e trabalho forçado na Sibéria. Essa fase, de 1850 a 1854, deixaria marcas profundas no escritor, que transformou a dor do confinamento neste livro.
Publicada em capítulos entre 1860 e 1862 na revista Mundo Russo, Recordações Da Casa Dos Mortos beira o relato documental, já que foi construída a partir das anotações que o escritor fez às escondidas, dos diálogos que presenciou e também das suas próprias impressões. Por meio do personagem de Alieksandr Pietróvitch, assassino confesso da própria mulher, Dostoiévski constrói um brutal e minucioso relato do dia-a-dia dos prisioneiros. Aqui, o grande autor perscruta a fundo a alma de cada um deles, revelando o sofrimento físico e mental do cárcere e a progressiva e total anulação da individualidade, sem deixar de lado a crítica a um sistema que fomenta o ódio e que não se preocupa em recuperar os cidadãos para a sociedade.
Recordações Da Casa Dos Mortos foi um êxito na época do seu lançamento e abriu uma nova fase na carreira do autor, que nunca se recobrou de ficar frente a frente com o terror e de conviver com homens que não diferenciavam o bem e o mal. É deste enfrentamento que emergem sua grandes obras literárias.

Nas regiões distantes da Sibéria, é comum encontrarmos cidades rudes feitas de madeira, espalhadas entre estepes, montanhas ou florestas de acesso difícil, com mil ou, no máximo, dois mil habitantes, com duas únicas igrejas—uma na praça e outra no cemitério—e que mais lembram um subúrbio miserável de Moscou ou de qualquer outro grande centro. Em geral, elas são supridas por um corpo completo de inspetores policiais, assistentes e outro servidores subalternos. Na Sibéria, apesar do frio, os cargos públicos constituem um serviço bem aquecedor. Os homens que lá vivem são simples e conservadores, não afetados pelas ideias liberais.

 

 

Camisa Abraço De Livro

Deixe uma resposta