Albino Rubim (Org.) – Política Cultural E Gestão Democrática No Brasil

Posted on Posted in Administração, Artes, Ciências Sociais

Tratar das relações entre cultura e política não parece algo simples. Tais interfaces têm se mostrado sempre complexas no espaço e no tempo. Complexas e diversas têm sido as experiências do Partido dos Trabalhadores (PT) no trato da cultura.
Sem possibilidade nem pretensão de ser exaustivo, Política Cultural E Gestão Democrática No Brasil busca reunir alguns exemplos das políticas culturais desenvolvidas por governos petistas em municípios, em estados e na União.
Política Cultural E Gestão Democrática No Brasil deseja dar mais visibilidade a estas experiências, estimular o conhecimento de políticas culturais alternativas, petistas e de esquerda, através de novos estudos e, principalmente, colocar na agenda a discussão sobre políticas culturais neste crucial momento em que vivemos, quando a possibilidade de retrocesso ameaça as conquistas alcançadas pela população brasileira, através de governos dirigidos pelo PT.
Os erros cometidos, que devem ser publicamente assumidos, não podem ser manipulados para negar as muitas políticas públicas desenvolvidas pelo PT, nas mais diversas áreas e, neste caso específico, no campo cultural.
Política Cultural E Gestão Democrática No Brasil objetiva ser uma pequena colaboração para o não esquecimento da história recente do Brasil, a necessária reflexão crítica sobre nosso presente, a abertura de novas perspectivas de futuro e para reafirmar que a cultura tem muito a dizer sobre os dilemas que hoje vivenciamos.
As interfaces entre política e cultura marcaram a história da esquerda no mundo e no Brasil. Por certo, elas não foram sempre relações tranquilas. Momentos e movimentos criativos conviveram com outros difíceis e controversos, decorrentes de políticas que não assumiram a democracia como valor universal, para lembrar a bela formulação de Carlos Nelson Coutinho, que tanta discussão propiciou na esquerda e na sociedade.
Os avanços, retrocessos e dilemas vividos, entretanto, confirmam a intensa relação desenvolvida entre a esquerda, a política e a cultura. Não, por acaso, muitos criadores e movimentos culturais se constituíram em sintonia fi na e, por vezes, tensa com o imaginário rebelde contraposto à exploração e opressão vigente na sociedade capitalista.
No mundo, as lutas e as revoluções acontecidas demonstraram as vitais conexões entre cultura e política.

Deixe uma resposta