Um dos eventos mais importantes ocorridos nas últimas duas décadas, na ampla área chamada indústria da informação, foi o surgimento e o crescimento das bases de dados. Pode-se afirmar, sem sombra de dúvida, que foram tais tecnologias que possibilitaram a atual pujança dessa indústria.
Analisando a literatura sobre o assunto nota-se que não está claro qual foi a primeira base a ser citada. Entretanto, sabe-se que as pioneiras foram criadas nos Estados Unidos e que uma das primeiras foi a base de dados numéricos criada em 1951 pelo Bureau do Censo.
Entretanto, muitos autores concordam que o fator que realmente provocou a explosão das bases de dados foi a sua utilização por parte dos serviços de indexação e análise bibliográfica, através das aplicações relacionadas com a preparação mais rápida de originais de suas publicações para impressão em fotocomposição.
Estando pronta a citação bibliográfica, seu resumo em termos de indexação colocados em suporte por máquina, a passagem para outras aplicações foi um caminho natural.
As bases de dados são fontes de informação computadorizadas que podem ser pesquisadas num modo interativo ou conversacional através de um terminal de computador, telex ou mesmo um microcomputador.
No início dos anos setenta existiam menos de dez bases de dados disponíveis através dos bancos DIALOG e ORBIT. Hoje existem, em todo o mundo, mais de 3 200 disponíveis ao acesso público, hospedadas em mais de quarenta grandes bancos de dados. Essas bases de dados são de dois tipos (referenciais e de fonte) e seus conteúdos se referem a praticamente todos os assuntos:
1 – Bases de Dados Referenciais: São aqueles que contêm referências ou informações secundárias que identificam as várias fontes primárias. Estas bases não dão a resposta completa a uma determinada pergunta, mas informam aonde o usuário pode ir para obtê-la. Elas são tipicamente de natureza bibliográfica ou de diretórios.
2 – Bases de Dados de Fontes: São aquelas que contêm a informação completa (ou dados primários), as quais não requerem do usuário ir a outras fontes para obter respostas. Elas são de quatro tipos básicos: numéricas, texto completo, dicionário e gráficas.
Bases De Dados E Bibliotecas Brasileiras examina sistemas de informação em algumas bibliotecas brasileiras, apresentando a importância de bases de dados nos serviços de bibliotecas em países desenvolvidos e em desenvolvimento. O livro traz a metodologia adotada para pesquisa e analisa os dados obtidos.

Deixe uma resposta