Rui Barbosa – Obras Seletas

Posted on Posted in Ciências Sociais, História

Rui Barbosa, mais precisamente Rui Barbosa de Oliveira, nasceu na cidade do Salvador em 1849 e faleceu na cidade de Petrópolis do Rio de Janeiro em 1923. Com uma formação ímpar que agrega o jurista e diplomata ao literato e político, foi um dos intelectuais mais atuantes de seu tempo. Interferiu ele em questões diplomáticas, políticas e jurídicas de relevante grandeza para o Brasil. A II Conferência da Paz, em Haia, a campanha Civilista, e principalmente, ao lado de Joaquim Nabuco, foi um nome inegável na luta contra a escravidão, assumindo a bandeira do abolicionismo. Como homem público, parlamentar, participou de questões sérias de Estado. Dos seus discursos, é possível depreender o rico e tenso cenário da nossa passagem do Segundo Reinado para a primeira e velha República.
As Obras Seletas, Volume VI, publicada pela Fundação da Biblioteca Nacional em 1956, revelam o dito acima. A obra ganhou o domínio público, encartando aquilo que se denominou “Campanhas Jornalísticas” de Rui Barbosa. Trata-se de uma coletânea de artigos, manifestações e discursos desse autor, editados por diversos jornais brasileiros entre as datas de 25 de junho de 1869 até a data de 15 de novembro de 1889. O primeiro jornal da série a abrigar uma reflexão da lavra dele é o Radical Paulistano (1869).
Em sequência, escreve ele no Diário da Bahia (1875 e 1877), em O País (1884), em o Jornal do Commercio (1885), e por fim aparecem publicações suas no Diário de Notícias (1889).
Dentre os volumes das Obras Seletas, este é o que demonstra uma estrutura do pensamento do Rui como intelectual público em torno de um arco de temas que vai da abolição da escravatura até questões político-jurídicas como o republicanismo, o monarquismo e o federalismo. Portanto, toca nos assuntos mais candentes da esfera pública brasileira daquela época, mobilizando argumentos extraídos de toda a sua formação jurídica, política, literária e jornalística. As diversas facetas desse robusto pensador brasileiro ganham dele, nesta obra, uma instigante mas também um mapa do nascedouro de suas ideias mais caras.

Deixe uma resposta