Karl Marx & Friedrich Engels – Lutas De Classes Na Rússia

Posted on Posted in Ciências Sociais, História

Ao fazer o debate sobre as comunas rurais e as características específicas da Rússia do século XIX, Marx e Engels vão instituir um arcabouço interpretativo que apresenta uma visão distanciada do etapismo economicista e eurocêntrico. Os textos reunidos por Michael Löwy neste livro abrem uma nova perspectiva de pesquisa para a reflexão marxista. As possibilidades da revolução socialista diante das contradições das formações sociais daquele período têm impacto no horizonte teórico do tempo presente. A unidade temática apresentada nestes estudos de Marx e Engels traz contribuições sobre os prováveis desenlaces da luta de classes na chamada periferia do sistema.
No debate em curso, Marx desvincula a revolução socialista do desenvolvimento das forças produtivas ao afirmar que seus estudos sobre a acumulação primitiva feitos para O capital dizem respeito ao percurso histórico da Europa ocidental, em particular da Inglaterra. Com essa nova perspectiva metodológica, Marx e Engels abrem uma seminal hipótese que viria a se confirmar com as vitoriosas revoluções do século XX, ocorridas na contramão do inventário político da Terceira Internacional, a Internacional Comunista.
As formulações contidas na correspondência e nos textos do último Marx e de Engels, para além de se configurarem numa nova trilha aberta para os revolucionários, apresentam, do ponto de vista filosófico, uma múltipla determinação dialética que rompe com os esquematismos reformistas e o evolucionismo unilinear .
Este livro também identifica as posições de figuras históricas da luta emancipadora na Rússia sobre a questão do socialismo. Vale salientar aqui um registro de magistral envergadura: as descobertas de David Riazanov, historiador e filólogo “desaparecido” durante o governo de Stalin, sobre a troca de cartas entre Marx e a revolucionária russa Vera Zasulitch. Sem o trabalho desse pesquisador e militante ucraniano, de quem este volume traz um texto justamente sobre essa correspondência, a história do marxismo e de seu pensamento social, que iluminam as lutas dos trabalhadores até hoje, não seria tão rica e de conhecimento público.

Deixe uma resposta