É bem provável que um dia leiamos este livro e recordemos os textos nele escritos como lembranças de um passado glorioso dos alunos da Escola Machadão. Talvez sintamos saudades desses momentos de produção que ora ficam registrados nesta coletânea composta por textos dos mais diversos gêneros: poemas, memórias, crônicas, cartas, contos, lendas, raps e charges.
Foram muitos momentos de caminhada por entre leituras, escritas e reescritas. Milhares de textos produzidos pelos jovens que fizeram/fazem parte dessa escola tão grandiosa no epíteto. Caminhos trilhados juntos por professores e alunos, especialmente por nós, professores Ladmires e Leidivânia. Tudo feito com muita dedicação e amor, pois se não fosse assim, como enfatiza Paulo Freire em sua Pedagogia da Autonomia, não seria obra de um bom professor.
Machadão: no caminho das palavras registra os textos dos alunos que participaram de muitos momentos em que, a partir de atividades de leitura e escrita, foi sugerida a produção de um texto, escrito sob a estrutura de um gênero discursivo. Ora, então, não é isso o que preconizam os Parâmetros Curriculares Nacionais, que preveem a ascensão dos alunos no meio social mediante a sua interatividade com a língua materna? Como a resposta é positiva, só podemos crer que estamos no caminho certo. E, como diriam tantos estudiosos sobre os gêneros do discurso, é preciso que os gêneros estejam a serviço do homem como Mikhail Bakhtin, que vê a relação do indivíduo com o seu próprio discurso como interacionista, em que há uma ressignificação da linguagem por meio da auto-expressão daqueles envolvidos no discurso.
Além dos vários projetos desenvolvidos durante o ano letivo na escola, duas ações merecem destaque na produção dos textos que vão por esses caminhos traçados: a Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro e o Concurso de Gêneros Discursivos que deram o tom para a maioria dos textos escritos pelos alunos e foram escolhidos para compor as páginas deste livro.

Deixe uma resposta