Fabio Parode & Ione Bentz (Orgs.) – Semiótica, Estética E Design

Posted on Posted in Artes, Ciências Sociais, Comunicação, Design, Filosofia

O conjunto de artigos apresentados neste volume corresponde aos trabalhos realizados durante os seminários de Estética e Cultura Contemporânea e Processos de Significação e Comunicação, oferecidos para os alunos de Mestrado em Design da Unisinos, em 2015.
Ambos os seminários, ainda que com metodologias diferentes, têm como proposta a qualificação das discussões e produções de design estratégico.
Em Estética e Cultura Contemporânea, busca-se apresentar e discutir temas ligados à produção da arte e do design, com foco nas relações entre produção de artefatos e cultura e nas sensações produzidas no corpo pelos sentidos simbólicos.
Busca, sobretudo, elementos para a construção de pensamento crítico sobre a relação entre o design e o contexto no qual ele se insere, identificando a estruturação de poder dos agentes discursivos. Design, nesta perspectiva, é entendido como agente cultural, dispositivo capaz de agenciar, promover ou alienar os sujeitos, seja de seu papel social, seja de sua própria percepção de si.
O substrato teórico, trabalhado ao longo do seminário de Estética, busca corroborar o pensamento sobre o design, sobre as práticas de projetação na perspectiva do design estratégico, especialmente naquilo que diz respeito à produção das condições do convívio coletivo e de projeto de futuro.
É a produção de sentidos simbólicos o que une os dois seminários, sendo que Processos de Significação e Comunicação parte das perspectivas semióticas para a compreensão dos significados produzidos e postos em circulação pelos meios de comunicação, em seus vários suportes tecnológicos.
Trabalha-se os textos como discursos, o que confere relevância aos sujeitos na produção da intersubjetividade. A relação entre texto, imagem e discurso aparece como fundamento para a compreensão dos agenciamentos através das formações maquínicas, nos movimentos de territorialização, desterritorialização e reterritorialização.
A identificação de diferentes regimes de signos, de linguagens e de processos de comunicação leva à discussão de métodos de análise que, correlatos à compreensão de design como linguagem, agrega valor à formação do design como agente transformador da sociedade pela produção de dispositivos de sentidos simbólicos agregados.

Deixe uma resposta