A publicação tem o objetivo de ser uma ferramenta de planejamento capaz de subsidiar as tomadas de decisões de governantes e demais atores por meio da classificação dos municípios brasileiros, segundo o grau de exclusão social. Esta abordagem assume papel multidimensional a partir da análise de indicadores de pobreza, emprego, desigualdade, escolaridade, juventude e violência.
O estudo se torna relevante instrumento para subsidiar os atores comprometidos em superar as desigualdades sociais na priorização de territórios para implementação de iniciativas públicas, ou de interesse público, destinadas ao desenvolvimento socioeconômico e à redução dos aspectos perversos da exclusão social.
O esforço metodológico empregado culmina com uma trajetória percorrida a partir da primeira publicação do Atlas da Exclusão Social no Brasil, ocorrida em 2002, e posteriormente com o lançamento de mais quatro volumes, cujos conteúdos trouxeram a caracterização socioeconômica dos territórios brasileiros por meio de informações censitárias do ano 2000.
As informações apresentadas referem-se a uma atualização com base no ano de 2010, e são provenientes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Ministério da Saúde. Essas informações permitiram criar índices simples e compostos referentes a três dimensões de análise: Vida Digna, Conhecimento e Vulnerabilidade Juvenil.
Para cumprir os objetivos mencionados, o livro foi dividido em cinco capítulos. O primeiro capítulo aborda de forma analítica a produção e reprodução da exclusão social no Brasil na primeira década do século XXI. A análise das informações sobre a exclusão social no Brasil, disponibilizadas por meio de mapas, foi foco central do segundo capítulo.
O terceiro capítulo concentra-se em analisar a presença da exclusão social nas grandes regiões naturais e nos estados da federação. Já o capítulo 4 foca-se nas áreas de extrema exclusão social, visando identificar localidades prioritárias para intervenções públicas e privadas de interesse público. O último capítulo aponta as cem cidades mais bem e piores posicionadas segundo o ranking do índice composto de exclusão social. Por fim, o livro conta com um anexo estatístico contendo os índices de exclusão social e seus derivados para todos os municípios brasileiros.

Deixe uma resposta