Klebson Oliveira – Negros E Escrita No Brasil Do Século XIX: Sócio-História, Edição Filológica De Documentos E Estudo Linguístico

Posted on Posted in Letras, Linguística, Literatura

kle

O evento que moveu e em torno do qual gira a presente tese foi a localização de expressivo acervo documental, escrito por africanos e afro-descendentes na Bahia do século XIX e preservado em uma irmandade negra denominada Sociedade Protetora dos Desvalidos, fundada em 1832. Desse acervo, escolheram-se 290 textos, principalmente atas, que foram transcritos nos moldes de uma edição semidiplomática, para que tenham serventia a estudos lingüísticos em variados níveis. Mas esse achado – documentos escritos por negros – levou a outros desdobramentos. Nesse sentido, esta tese procurou investigar, com base, principalmente, em bibliografia da História do Brasil colonial e pós-colonial, o lugar social de africanos e seus descendentes na Bahia oitocentista, a situação da alfabetização na Bahia do século XIX e a relação entre alfabetização e africanos e seus descendentes também no século referido. Nesse percurso, reuniram-se documentos saídos das mãos de escravos ou feitos por outros, mas como expressão da sua vontade, e, sobre eles, se fez um estudo. O outro desdobramento diz respeito ao local onde foram preservados os documentos editados, escritos por negros forros e livres, e que compõem o corpus deste trabalho, a Sociedade Protetora dos Desvalidos. Através de diversas fontes, dão-se o histórico e a estrutura da referida irmandade, bem como, quanto a seus integrantes, se averigüaram a origem, o estatuto civil, a cor e a alfabetização, ou seja, variáveis que têm implicações diretas sobre o corpus. Esta tese conta ainda sobre o como o corpus foi constituído, destacando-se o procedimento na seleção dos documentos, quando foram escritos e, principalmente, por quem foram escritos. Nesse último particular, desenha-se o perfil social dos autores identificados. Um estudo lingüístico sobre quatro grupos de fenômenos: este foi o último desdobramento desta tese. Analisaram-se, por terem pouca ou nenhuma atenção em perspectiva histórica nos estudos sobre o português brasileiro, os seguintes aspectos: segmentação gráfica, um traço da aquisição da escrita – grafias para sílabas complexas, fenômenos gráficos e marcas da oralidade na escrita no plano da fonética/fonologia.

pdf

Deixe uma resposta